Mudança de endereço

Pessoas,

o blog tá mudando de endereço: www.blogdenosdois.com

Mais fácil, né? Espero vocês lá!

Beijocas. Vanessa

Sem vontade do Restaurant Week

Pessoas, o Restaurant Week de 2010 não nos empolgou :( Não fomos em nenhum. A vontade de ficar em casa venceu!

Mas, isso não significa que nossa noites não foram felizes. Olha só:

terça: pizza de calabresa da Pedacinho e cerveja Bohemia Confraria.

quarta: bacalhau, arroz e Devassa

quinta: picanha, cerveja Stella. O arroz e o shimeji com abobrinha e shoyo chegram depois.

Não acham?

Beijocas! Vanessa

Resistência à Insulina

 Olá pessoas!


Já ouviram falar em resistência à insulina? É uma condição metabólica na qual o organismo resiste à ação da insulina. Ela tenta fazer o trabalho dela, que é levar glicose pra dentro das células pra gente ter energia, mas não consegue. Fica empacada na porta da célula. O pâncreas, então, pensa que produziu pouca insulina e produz mais, e mais, até vencer pelo cansaço e conseguir fazer com a glicose entre na célula

Muitos chamam essa condição de pré-diabetes, por ela indicar um futuro diabetes tipos 2 (aquele que você adquiri; o tipo 1 a gente já nasce com ele). O pâncreas, nesse trabalho exaustivo de produção de insulina, tem a tendência de entrar em colapso. Decide que já trabalhou demais e se aposenta ou fica bem preguiçoso. Pronto, chegou o diabetes.

O exame que diagnostica isso é a curva insulínica, que é diferente da curva glicêmica. Clinicamente, um dos indicativos é a dificuldade de ganhar peso e facilidade de perder, principalmente em relação à massa muscular. Essa era minha queixa. Minha curva glicêmica é normal, mas a insulínica é horrorosa! Pra manter minha glicemia normal, meu pâncreas produz 5 vezes mais insulina do que ele deveria. O que fazer? Parar de estimular esse mecanismo tosco. Como? Não ingerir alimentos com índice glicêmico alto (pois qto maior o índice glicêmico do alimento, mais rapidamente ele vira glicose e o pâncreas tem picos de produção de insulina pra dar conta dessa glicose toda. No meu caso, corre o risco dele "infartar" de tanto trabalho) e fazer atividade física (porque o exercício aumenta a sensibilidade das células à ação da insulina, facilitando as coisas pro meu pâncreas). Tem medicação também, mas decidi adiar essa parte e tentar manter o controle disso com alimentação adequada + atividade física. Tem dado certo. Aliás, a endocrinologista disse que pela minha curva de insulina, minha glicose ainda não é alta muito provavelmente por causa da atividade física, que já faço há um tempão. Tipo eu já fazia tratamento antes de saber do problema

Talvez um dos momentos mais esquisitos da minha vida foi quando recebi do Dr. Carlos a ordem de parar de comer açúcar. Não digo nem momento triste, porque foi tão surreal que parecia um sonho. Sabe, a sensação do momento em que algo tão absurdo é falado que você nem registra? Foi assim. 3 minutos depois, eu consegui dizer: "Como assim? Tá louco?"

Só podia estar, né? Afinal de contas, ele estava falando com a Vanessa. A Vanessa que sabe (ou sabia?) reconhecer a marca do leite condensado do brigadeiro pelo sabor, a marca do chocolate ao leite usado no bombom caseiro ou na cobertura do bolo de chocolate. A Vanessa que passou milhares de tardes da sua adolescência traçando um prato básico de brigadeiro, só pra ela. Se tivesse mais gente, tinha que utilizar mais latas de leite condensado (Nestlé, por favor), pois uma lata era só pra quantidade suficiente pra Vanessa. A Vanessa que jamais saia de um aniversário antes do parabéns, por causa dos doces. A Vanessa que programava lançar um livro de etiquetas estabelecendo que não tenha ordem de comida em festas: o doce pode vir antes do salgado. A Vanessa que atribuía 60% da "vontade" de fazer atividade pra compensar os brigadeiros, chocolates e afins.

Apesar de absurda, decidi pelo menos tentar seguir a ordem. O possível diabetes e o efeito devastador da doença me aterrorizam! No início, era triste. Triste mesmo, de ter vontade de chorar. Mas, conforme o Pato Fu explicou na letra de Vida Diet, logo me acostumei e a vontade de chorar passou. Focar nas vantagens estéticas da vida sem açúcar ajudou bastante.

Isso foi em 2006/2007 e desde então o açúcar visível e óbvio só é ingerido quando realmente vale a pena. Afinal, ainda tem todo o açúcar que a gente acaba ingerindo sem ver, utilizado como ingrediente de comidas nem sempre doces, tipo molhos, em algumas massas, etc. Uso o mesmo raciocínio que tenho com dinheiro (vale a pena gastar tanto nisso?), só que nesse caso, a pergunta é: minha insulina, fadada à morte, vale esse doce? Porque o estoque um dia vai acabar.

Curiosamente, mesmo que esperado, eu ganhei quase 2 kgs de lá pra cá. Já peso quase 50kg. Esquisito, né? A pessoa para de comer açúcar e ganha peso. Existe de tudo nessa vida, gente!

Vida Diet - Pato Fu

A gente se acostuma com tudo
A tudo a gente se habitua
E até não ter um lugar
Dormir na rua
A tudo a gente se habitua

Me habituei ao pão light
À vida sem gás
O meu café tomo sem açúcar
E até ficar sem comer
Sem te ver
A gente custa mas se habitua

Sem giz, sem água 
Sem paz, sem nada

Não vai ser diferente
Se eu me for de repente
Se o céu cai sobre o mundo
E o mar se abrir 
Em um inferno profundo

Se acostumou sem querer
Ao salto alto
Salário baixo, à vida dura
E até ficar sem tv
É bom pra você
Televisão ninguém mais atura

PS: A reportagem de capa da revista Época dessa semana é sobre diabetes. Vale a pena dar uma olhada.

Beijocas, sem açúcar. Vanessa.

Depilação a Laser - Gas Laser, Brasília/DF

 Olá pessoas!

Vai uma dica de um lugar legal pra fazer depilação a laser. É na Gas Laser, telefone 3442-8011, na 710/910 sul, no edifício Via Brasil. O valor da sessão é calculado pela quantidade de disparo, além da taxa de calibração do aparelho. A taxa custa R$ 60,00, e cada disparo 0,30 centavos. Acho que na face o disparo é mais caro. Então, se vc tem muito pêlo, paga mais. Se tem pouco, paga menos. E quanto mais áreas você fizer na mesma sessão, melhor, porque só paga uma taxa de calibração. Por alto, uma sessã de axila e virilha sai por menos de R$ 200,00.
Bem mais justo que as sessões em consultórios médicos que giram em torno de R$ 400,00 por área.
Obviamente, as aplicações do laser não são feitas por médicos, mas por técnicos. Apesar disso, tem dermatologistas por lá, que fazem a avaliação gratuitamente, indicam o tipo de laser (pele clara ou pele escura) e ainda passam algum remedinho pra gente suportar a dor, porque dói. Dói pra caramba!!!! Pelo menos já vai resolvendo o problema, né? A cera dói e mês que vem tem de novo, and again, again, again, pro resto da vida.
Dica preciosa: além do analgésico oral, existe uma pomadinha chamada Emla que é fundamental! Tem que aplicar nas áreas de depilação por volta de 1h antes da sessão, e ir reaplicando a cada 15 ou 20 minutos. Faz toda a diferença na dor e é bem barata, menos de 10 reais a bisnaga. Já fui pra depilação só com 1 comprimido de tylex 30mg e doeu pacas! Já fui também com 2 comprimidos de tylex 7,5mg + a pomada e quase não doeu. 
O ideal é 1 comprimido de tylex 30mg + a pomada pra quem é bem sensível a dor como eu.
Beijocas! Vanessa
Eu me formo esse ano!!!!

Pessoas!

Como já é 2010, tem uma frase que tá me deixando muito empolgada: eu me formo esse ano!!! esse ano!!!!


Apesar de sempre alguém dizer "nossa, como passou rápido", a história não é bem assim. O tempo passa rápido pra quem tem as noites e finais de semana livres pra fazer o quem bem entender e pode marcar as férias na baixa temporada sem se preocupar com a merda da semana de provas. Pra quem tem que aturar professor burro, ir na udf só pra dizer "presente" e ser aprovado, perder finais de semana estudando ou fazendo trabalho, freqüentar estágio chato,  aguentar aluno medíocre com pergunta idiota, reservar 1000 reais do salário pra mensalidade, entre outras coisas, o tempo passa arrastado! Tão arrastado que a gente vai chegando num estado de saco cheio total que percorrer o caminho de ida pra faculdade é uma verdadeira tortura.

A parte boa fica por conta das pessoas legais que a gente vai conhecendo, né? Pessoas essas integrantes da União dos Picaretas da UDF, presidida pelo Vinicius. Depois da formação, ir passando pelas matérias ficou mais fácil e divertido.

Esse semestre ainda tem estágio trabalhista, que dizem que é punk, e a bendita monografia. But, who cares??? Eu me formo esse ano!!!!

Aliás, a formatura será comemorada da seguinte forma: o valor das duas mensalidade será torrado num bar com os amigos. É isso aí: 2 mil reais, em média, pra gente deixar num boteco legal e se divertir. Só temos hora pra chegar e a única obrigação é beber. Nada de salto alto, cabelos ridículos, gastar grana com vestido, ternos ou sapatos desconfortáveis. Se você é amigo, reserve a data na agenda: 10 de julho. Se você não é tão amigo assim, ainda é tempo de nos conquistar Bem humorado

Beijocas! Vanessa

Pescada amarela c/c macarrão ao molho pesto.

Pessoas! Tudo bem?

As noites livres (em virtude das férias da faculdade) e a inspiração aflorada depois do filme Julie E Julia têm tendido uns bons momentos na cozinha. Merece destaque a pescada amarela acompanhada de macarrão ao molho pesto.

O macarrão é Barilla Bavette nº 13, cozinhado em 8 minutos, como manda a embalagem, e temperado a gosto com alho e sal.

O molho pesto foi feito seguindo em parte a receita do verso da embalagem das nozes com casca, da Qualitá. Os ingredientes indicados pela receita são nozes, folhas de manjericão, azeite e queijo parmesão ralado. Devem ser todos triturados no liquidificador. Só que depois de feito assim ficou meio insosso. Daí colocamos uma pitada de sal e mais umas folhas de manjericão amassadas com a mão. Acertamos! A quantidade de nozes também foi ajustada, já que o recomendado é 3/4 de xícara de chá de nozes com casa. Como assim?!? Isso daria uma noz, ué. Então colocamos 4 nozes, obviamente sem casca.

O peixe é a pescada amarela. Temperamos com um tempeiro pronto de mercado, da marca Pirata, do tipo tempero caseiro para aves e peixes. Ficou delicioso. Além de que, pegamos um pedaço com corte bem alto, e como a textura desse peixe é ótima, ficou super macio.

olha a altura do peixe!

Compramos o peixe no Pão de Açúcar. Inclusive, lá tem vários tipos de peixe fresco, como salmão, atum, robalo, tilápia. São vendidos em bandeijas em porção pequena, pra uma refeição, já limpinhos e tals. O preço do quilo varia um pouco dependendo do tipo de peixa, mas ficam ali na casa dos R$ 30,00. Essa porção da pescada amarela saiu por menos de R$ 10,00 e a quantidade foi excelente. Sou cliente mais freqüente do Super Maia e lá só vejo para venda peixes quase inteiros. Por isso, tô na fase encantada pela opção de peixe vendido como peito de frango :)

Outro dia fizemos uma tilápia, temperada com alho e sal. Ficou muito bom tb, principalmente a parte feita panela com anti-aderente qur funcionava. A parte grelhada na panela velha, mas untada com óleo, o peixe grudou no fundo e despedaçou todo.

E também já provamos o atum, mas esse não ficou bom, não.  Já tínhamos tentado antes, e não ficou legal em nenhuma das vezes. Ele resseca demais, fica borrachudo. Qual a dica pro atum, hein? Será que nasceu pra sashimi apenas?

Sabem aqueles azeites deliciosos de pizzaria bacana, temperados com alho ou pimenta? Fizemos um! Tacamos dentes de alho e um ramo de manjericão e o resultado foi excelente! O cheiro de azeite tá divino! É uma ótima opção pra salada de folhas, quase sempre sem graça, né?

E, pra fazer justiça no final, tenho que dizer que o Vinicius tem demostrado ser um cozinheiro de mão cheia! Apesar do tempo verbal desse post ser predominantemente na primeira pessoa do plural, a parte importante foi toda feita por ele: o molho pesto, o peixe, o azeite temperado. Algumas vezes rolava uma ou outra sugestão minha.

É isso! Feliz 2010 pra todo mundo! Beijocas.

Vanessa

 

Desisto de entender o mundo

Pessoas, eu tento entender o mundo, mas tá cada vez mais difícil!

Se alguém conseguir explicar...

Beijocas. Vanessa

 

Vendo meu Ford Ka Rosa
Pessoas,
 
é com grande pesar que anuncio que meu ford ka rosa está a venda. Pesa porque ele é fofo, porque ele me deixa ainda mais feliz, porque através dele eu conheci algumas pessoas legais e amigos de amigos, porque sempre me dão passagem nos engarrafamentos, porque não fico perdida naquela nuvem cinza/preta/vermelha/branca dos estacionamentos procurando onde estacionei o carro, porque as pessoas sorriem quando olham, porque meus amigos me encontram mesmo quando a possibilidade é mínima, porque as crianças me dão tchau, porque as meninas fotografam. Enfim, ele é rosa!
 
A razão é que me rendi a um mundo mais confortável (leia-se ar condicionado, direção hidraulica, etc.).
 
Se alguém se interessar, ou souber de alguém que o queira, é só entrar em contato. Pode deixar comentários que eu respondo, com certeza. Ou, envia e-mail para eutenhoumcarrorosa@gmail.com . Aliás, essa conta de e-mail vai de brinde :)
 
O carro está bem conservado, com cara de novo. O interior tá bem bacana, e a pintura foi feita em 2006.
 
Os dados do carro são:
Beijocas, Vanessa.
Boicote a TODOS os estacionamentos pagos.

Olá pessoas!

Fato 1: nesse semestre, o estágio da faculdade é na área de penal. O Núcleo de Prática Jurídica da UDF oferece assistência jurídica gratuita aos pobres, mais ou menos como a defensoria pública faz. Na última quinta-feira passei a manhã inteira fazendo um recurso contra uma decisão que condenou um meliante a 2 anos de reclusão em regime aberto por porte ilegal de armas. O anjinho responde também por tentativa de homicídio e roubo. E eu lá, queimando os miolos e arranjando brecha na sentença da juíza pra tentar amenizar a pena do filho da puta, que, na minha opinião, já estava amena demais da conta.

Fato 2: Há um tempo venho recebendo e-mails sugerindo um boicote ao Parkshopping por causa do estacionamento pago

Pois bem. Se até quem mata, rouba, tortura e estupra tem direito a defesa, o Parkshopping também tem

O Parkshopping é um estabelecimento comercial, que visa o lucro. Tem o direito de buscar ganhos de todas as formas legais. E não é só ele não. O Pátio Brasil, que eu saiba, cobra estacionamento desde 1997, ano de sua inauguração. O estacionamento lá nunca foi barato, e o valor inicial cobre apenas 2 ou 3 horas a partir da chegada. E quase todas as vezes que estive lá perdi bastante tempo procurando por vaga, porque sempre tá cheio. O Brasília shopping a mesma coisa. O Taguatinga Shopping também, apesar de ser um pouco mais barato, acho que R$ 3,00. Até o Terraço Shopping aumentou o preço do estacionamento. Tem o Libert Mall também, mas quem vai lá??

Os restaurante da Asa Sul estão cheios de manobristas pagos. E tem público cativo.

Sou completamente a favor dos argumentos contra o estacionamento pago: a gente já vai ao shopping pra consumir e se a moda pega mesmo, daqui a pouco até supermercado vai ter estacionamento pago. Acho realmente que devemos fazer algo. Porém, acho muito injusto que o boicote proposto seja contra aquele que sempre teve estacionamento gratuito e só agora, anos depois de todos os concorrentes já praticarem a cobrança, resolveu fazer também. Resolveu parar de deixar de ganhar dinheiro.

Portanto, boicotar apenas o Parkshopping é sacanagem. Minha proposta é igualar o tratamento e boicotar todos os estacionamentos pagos. Com certeza, assim é mais justo.

(só não sei como vou viver sem a Renner. prontofalei)

Abraços. Vanessa 

Mais um delivery

Oi pessoas!

Surgiu um novo e, aparentemente, bom delivery. É o Pocheras. Servem saladas, sanduíches, grelhados, massas, etc, com a opção de você escolher os ingredientes conforme sua preferência. O preço é bem interessante, principalmente se comparado ao Zimbrus, de qual o serviço é bem parecido. Só achei salgada a taxa de entrega por R$ 4,50. Pedidos por telefone só em dinheiro ou cheque, mas dá pra pedir pelo site no cartão Visa e funciona. Você recebe e-mails de confirmação e saída do pedido.

Experimentei a salada montada e o grelhado de filet mignon. A salada custa R$ 12,90 (sem taxa de entrega) e é grande. Pra quem gosta de salada, dá pra almoçar só isso. Minha chefa pediu uma massa montada, também R$ 12,90 e gostou muito. Eu não vi, mas ela disse que o prato era bem grande e ela nem conseguiu coemr tudo. Em vista desses tamanhos, hoje pedimos 1 grelhado para dividir. Custou R$ 18,90, com 2 acompanhamentos: salada e arroz com brócolis (filet de frango custa R$ 13,90, uma pechincha!). Foi suficiente para saciar a fome das duas, sem sentir aquela leseira pós almoço grande... O filet e a salada estavam ótimos. O arroz poderia ser melhor, tava com cara de arroz de ontem, mas tudo bem. Raro um arroz do dia no mundo dos deliverys. O molho pra carne tava delicioso. Aliás, as opções de molhos para carne e acompanhamentos dos grelhados merecem respeito. Os molhos para salada, em compensação, são de sachê. Péssimo!

É isso! Beijocas.

Vanessa

_________________________________

Comentário que merece ser publicado:

Olá Vanessa, que bom que gostou (na maior parte) do nosso delivery. Acredite, respeitamos muito a opinião dos nossos clientes. Já havíamos pensado em mudar os molhos da salada. Pensamos em fazer (assim como os molhos dos grelhados) nossas próprias combinações. Só não tivemos inspiração suficiente e alternativas economicamente viáveis ainda. Mas prometo que vamos tentar uma alternativa melhor. Quanto a taxa de entrega... este é um problema. O maior custo da entrega não é o combustível, como alguns pensam, mas sim o salário, benefícios e encargos dos entregadores. Infelizmente não conseguimos praticar taxa menor, pois mesmo com este valor R$ 4,50 ainda temos alto custo com os motoboys. Pode acreditar: a taxa paga aproximadamente 60% do custo de entrega. Peço que sempre tenha alguma opinião ou sugestão entre em contato conosco. Sempre incluiremos em nossas reflexões sobre os rumos do Pochera's a opinião dos nossos clientes. Um grande abraço a todos. Bruno Polcheira

 

Comidinhas de Paris

Olá pessoas!

Post sobre algumas comidinhas de Paris. Imporante saber: o covert nunca é cobrado, a água de torneira sempre é servida, e muitas vezes a gorjeta já tá incluída nos valores das comidas, é sempre bom verificar isso no cardápio. Portanto, na maioria das vezes, a conta sai pelo somatório do valor das coisas que a gente pediu. É sempre possível achar comidas parecidas com as nossas, por preços normais, e isso é uns 10 euros o prato. Eu acho que o divertido é variar: um dia vai de sanduíche da rua, outro de crepe, no outro compre ítens no mercado, outro no restaurante e assim a viagem vai ficando mais interessante.

O saduba e o crepe abaixo foram num meio restaurante meio bar em Les Marais. O sanduíche é com carne de porco e deve ter sido uns 10 euros. O crepe é de salmão com queijo brie, a aparência não anima muito, mas estava delicioso. Custou 7 euros. Esse foi a melhor massa de crepe que comi, pois ela não sobressaia ao sabor do recheio. As outras sempre tinham o maior gostão de farinha de trigo, especialmente os crepes de rua. Empolgada com a massa gostosa, provei um de nutella, foi uns 5 euros, e era bem do tamanho desse, lotado de nutella. Foi fantástico. A esperta aqui não anotou o nome do restaurante

O restaurante do Palácio de Versailles, o La Flotille, tem um ótimo custo benefício. Considerando que lá é bem longe, sem opção de almoço por perto, o ambiente e todo o charme de almoçar por lá mesmo, os pratos variando de 10 a 13 euros é algo bem satisfatório. E ainda tem opções de pizza que dá pra dividir. Fomos de vinho (10,80 euros), o Vinicius de costelinha de porco, arroz com cara de dormido, saladinha (11,50 euros) e café (2,30 euros), e eu de bife, fritas e salada (12,50 euros). Uma pena não ter pedido pra tirar esse molho, não era ruim, mas também não era bom.O total foi 37,10 euros, mais a gorjeta ficou 39 euros.


Na última refeição em Paris, decidimos provar escargot. Fomos ao Triadou Haussmann, um restaurante um pouquinho melhor. O escargot é servido como entrada, e a porção com 6 custa 12 euros. O bichano não é nojento. A consistência é bem firme, parece mexilhão. O gosto lembra frutos do mar, mas o molho domina a parada. O nosso era pesto, tava bem bom!  O Vi foi de pato com molho de pimenta acompanhado de purê de batatas (reparem no óleo do purê), por 20.50 euros, e eu filet com salada, por 15,00 euros. A carne de lá é quase sem tempero, muito sem graça. Essa não fugiu à tradição


Essa comilança aí foi uma das nossas jantas "em casa". Salmão defumado (3 euros), queijo camembert e roquerfort (esses extremamente frescos, e muito baratos, mais ou menos uns 3 euros a embalagem que dava pra nós dois e sobrava pro dia seguinte, e pro outro, até jogarmos um restinho fora), sardinha (1,50 euros), kani (??), pão de forma (??) e vinho branco (por volta de 5 euros) pro nosso tradicional sanduíche francês.

A pizza com a cara do Mickey da Eurodisney. Era horrível, pior que essas congeladas da Sadia e afins, mas diz se não é uma graça! O combo com a pizza, salada e refrigerante custou 13,90 euros e deu pra dividir, afinal ninguém ia repousar depois do almoço. A foto de baixo é um cheese burgue, uma mega salada, refri gigante e o iogurte, também grande, não é a nossa porção individual daqui. Também por uns 12 euros, e também dá pra dividir tranquilamente. Só a salada já enche.


Existem dois pratos bem tradicionais, sempre estão em qualquer cardápio: a soupe a l'oignon (sopa de cebola) e o croq monsieur (misto quente). Geralmente eles ficam na parte das entradas, custam entre 6 a 9 euros, e podem valer uma refeição. O croq monseiur às vezes vem com uma saladinha, e se você quiser com um ovo o nome é outro: croq madame. A sopa de cebola só pedimos num lugar e não tiramos foto, mas é igualzinha essa aí da foto tirada da net

 

No dia em que fomos à Ile de La Cite, almoçamos num restaurante chamado Degrés de Notre Dame, que também é um hotel. Também é um hotel. Foi um ótimo achado. O menu com 3 pratos custava 12.80 euros e 500 ml de vinho tinto 7.50. Lembrando da água e couvert "free", comemos bem e a conta ficou 33,10 euros

Beijocas. Vanessa

PARIS - JULHO 2009

O motivo (se é que precisa) da ida a Paris foi a visita que já tínhamos programado a um casal de amigos, em Londres. Então, como íamos a Londres, resolvemos passar antes em Paris e Bruges. Nós fomos receosos com duas coisas: não falamos francês e o francês é grosso e mal educado. Então, aprendemos poucas palavras soltas e diretas, como bom-dia, boa-tarde, obrigada e por favor (o Vinicius conseguiu aprender algumas mais) e uma única frase complexa: eu não falo francês. E quanto à grosseria, não tínhamos o que fazer. Paciência. Fomos! Não sei se porque a gente é bonito, ou temos cara de ricos, ou de pobre, ou sei lá o que, mas ninguém nos tratou mal. Foi super tranquilo, e sempre assim: chegávamos, falamos os cumprimentos em francês, às vezes explicávamos que não falamos francês em francês, mas muitas vezes perguntávamos em inglês se podíamos falar inglês. E assim foi feito e deu tudo certo.

A partida (aeroporto de Brasília)

Já no aeroporto, tivemos contato com culturas bem diferentes. Conhecemos um casal de Rondônia, que estavam conexão em Brasília. Eles estavam com indo pra Europa também, encontrar os filhos que moram. Nosso encontro foi assim: quando acabamos de fazer check-in, logo depois deles, eles perceberam que íamos pegar o mesmo vôo. Daí perguntaram se poderiam ficar conosco, pois estavam com medo de não conseguir embarcar ou embarcar no avião errado. Dissemos, obviamente, que sim, sem problemas. E ficamos batendo papo. Eles moram na área rural de Rondônia, não sei bem onde. Eram bem matutões. O senhor já tinha ido à Europa visitar o filho, era mais descoladinho. Já a  senhora morria de medo da escada rolante. Nunca tinha visto uma. Ficava sempre muito acanhando e olhando meio de lado, parecia que estava numa selva! Impossível não imaginá-la na Europa. E, como o senhor disse que a comida da Europa era muito ruim, eles tinham despachado uma mala de comida pra agradar os filhos. Comida frita! Mais especificamente porco frito. Todas as partes dele. Acho que galinha caipira também. E eles tinham saído de casa de madrugada, chegado em BSB 6 da manhã, ficaram o dia todo no aeroporto, iam embarcar de novo só 16h, viajar a noite toda, chegar em Lisboa 6 da manhã, horário de lá, e fazer novamente outra conexão até Milão, pra onde eles iam. Queria saber se a mala chegou, e como chegou. 

Na hora do embarque e emigração, o agente me fez uma das mais belas perguntas: "você é maior de idade?" Adorei! É que quando é menor de idade, a emigração é diferente. Embarquei feliz!

A TAP - a TAP é foda. Os aviões são apertados como os da GOL pro trecho Brasília-São Paulo. Achei que isso nem podia, afinal são quase umas 10 horas de vôo. E viva nossa TAM (ou a primeira classe de qualquer delas, meu novo sonho de consumo).

Em Paris

Vai se complicado escrever sobre Paris sem repetir mil vezes as mesmas palavras. Linda, impressionante, magnífica, grandiosa, romântica. Paris é tudo isso. E a cada esquina. Acho até que é a terra do advogado imperial mundial Alguns conceitos vão se formando quando estamos por lá. Um deles é de que o homem é capaz de construir e erguer qualquer coisa. O outro é que Paris deveria ser a última cidadea ser conhecida na sua vida. Porque depois de Paris, é difícil ficar impressionada ou embasbacada com qualquer outra

Acredite e siga:

Chegamos no Charles de Gaulle. Aeroporto gigante, com um emaranhado de esteiras rolantes de revestimento transparente que se cruzam no ar no meio do aeroporto. Bem interessante. De metrô, fomos pro hotel. Andando na ruas, fiquei impressionada com a quantidade imensa de Smarts,  Mini Cooper, e uns carros que nunca tínhamos visto nas ruas. É perceptível a forte tendência aos carros pequenos. Chegamos no hotel Charing Cross, check-in, banho e rua!

O Hotel Charing Cross

Nada de luxo. Mas foi bem satisfatório. Os atendentes eram bacanas, alguns bem divertidos, tinha elevador (sim, essa é uma consideração importante) e café da manhã. Fora a deliciosa baguete com uma manteiga fenomenal, o café da manhã era bem fraco: café, leite, croissant doce e salgado, um tipo de queijo (como assim um tipo de queijo? Era em Paris!), chá, biscoito tipo cream cracker e uma salada de frutas horrorosa. Pra quem não come leite nem açúcar, era complicado. Adoçante? Acho que eles nunca viram isso por lá. Tive, nem sempre por vontade, que comer açúcar. Coitado do meu pâncreas. No quarto tudo funcionava bem: controle remoto, chuveiro e descarga. Porém, acho que a roupa de cama (sabão em pó, amaciante, ou ácaro mesmo) me deu uma puta alergia. Logo fiquei toda empolada, nas regiões em contato com os lençóis: pescoço, rosto, braços. Melhorou dias depois de sair de lá. Assim é a Europa. Você gasta uma fortuna para ficar num lugar tosco, nada de táxi ou qualquer serviço de terceiros. E mesmo assim você quer voltar.

 

PARIS (CONTINUAÇÃO)

 

Fotos aqui. Beijos!
Vanessa
BUENOS AIRES - MAIO 2009

Olá pessoas!

Aqui, a causa da viagem se deu pela dobradinha "precisamos gastar umas diárias da Bancorbras" + "ó, a TAM tá com passagens muito baratas pra Buenos Aires". E lá fomos nós, dessa vez com meus pais e duas primas. 


Dessa vez, Buenos Aires deixou um pouco a desejar. A cidade parece estar meio decadente, e as notas de dinheiro falso são um problemão. Pegamos uma de 100 pesos, na casa de câmbio! E em toda compra, era um tal de um confere as notas que você está dando, depois você confere a nota que recebeu. Pensa: você nem conhece o formato e grafia da nota, e tem que aprender se ele é falso ou não. Era sempre um stress. Ainda assim, tem coisas interessantes:

 

Sem gracinha:
That's it! Beijocas.
Vanessa

 

FOZ DO IGAUÇU - MAIO 2009

FOZ DO IGUAÇU - Merece mesmo ser visitada. As cataratas são impressionantes, lindas, imponentes, encantadoras. Dá um pouco de orgulho de ser brasileira, porque é uma puta atração turística no nosso país. E, de quebra, tem a parte de compras, que é show!

vista panorâmica do helicóptero

Juntando a dobradinha "as cataratas são lindas, e as compras por lá também" + "promoção da TAM e Mastercard Paga 1 Viajam 2" resolvemos visitar uma das bordas do país. Pegamos a indicação de uma excelente guia, a Beatriz Ramser, que nos pegou no aeroporto e só nos deixou lá de volta 5 dias depois. Foi uma beleza: ela nos buscava no hotel, nos levava nos passeios, acompanhava em alguns programas, dava informações, indicava lojas, restaurante, dizia o que precisava e o que não precisava, organiza o tempo, levou no Paraguai, na Argentina. E pra tudo lá se precisa e carro. A cidade estava vazia, então a van e a guia estavam a disposição da gente quase todo o tempo. Só no último dia que surgiu um casal de BH e fomos juntos à Argentina, e foi super legal. Por essa mordomia, pagamos R$ 200,00 cada um. Eu achei que valeu muito a pena.

Dos 5 dias, tivemos 4 sortudos e brilhantes dias de sol. Choveu no último, dia de arrumar mala e ir embora, então tudo bem.

Chegando do aeroporto, fomos direto sobrevoar as cataratas de helicóptero. Primeira vez de helicóptero e primeira vista das cataratas. Foi uma excelente boas-vindas. Saindo de lá, fomos conhecer o Parque das Aves, que é bem em frente. O Parque das Aves é um zoológico predominantemente de aves, mas também tem cobras, jacarés, lagartos, borboletas e até um casoar, um bicho grande australiano que parece ser a origem de quase todos os outros animais. Muitos dos animais de lá foram apreendidos pela fiscalização da fronteira. Mas o lugar é particular, de uma francesa, inclusive. Não é muito barato pra entrar, foi uns R$ 15,00, mas vale a pena. Lá, a gente não vê as aves de fora do viveiro, pela grade, a gente passa entre os viveiros! E pode chegar bem perto, e tirar fotos. Pensa nos tucanos bem perto, mordiscando sua mão. Uma delícia. Tem também umas aves bem diferentes e muito bonitas!! No recinto dos flamingos, foram colocados espelhos para que eles pensassem que a população era maior e ficassem incentivados a se reproduzirem. E deu certo. O lugar é muito agradável, bem estilo florestal.

Depois fomos pro hotel, fazer check-in, pois as malas ainda estavam na van (olha que tempo bem aproveitado. Se tivesse que ir ao hotel deixar mala efazer check-in, o dia já teria acabado.). O hotel, Bourbon, é maravilhoso. Aproveitei que só tava pagando 1 pacote, e enfiei o pé na jaca. Bom demais ser bem tratado. O café da manhã era show de bola, com muitas opções de produtos sem açúcar, frutas lindas e gostosas, pães diversos, aquela coisarada americana, e até champagne!! Sim, tinha champagne no café da manhã. Nem sou fã, mas tive que beber :) Tinha piano e pianista, uma academia razoável, um monte de atividades de lazer e até um mini zoológico. E ainda tinha pipoca de petisco no bar. Então eu pedia uma água e um prato de pipoca. Uma beleza. Jantamos todos os dias no restaurante italiano do hotel, de ótima qualidade e preço justo.

No dia seguinte fomos conhecer o Parque Nacional de Iguaçu. O parque é gigante, e tem mil atividades. Escolhemos um pacote de dia inteiro, com a Trilha do Poço Preto (aqui tem um link prum video do you tube, não é nosso, mas mostra bem como é o passeio) e Macuco Safari, que incluia uma trilha de bicicleta guiada (novamente só eu, Vinicius e o guia, dessa vez outro guia), que também pode ser feita de jipe, restante de trilha a pé, almoço (já incluído), trilha a pé pra ver as cataratas brasileiras e macuco safari (passei com um bote inflável que te leva lá nas cataratas!). Tudo saiu por uns R$ 220,00, casa um. Foi excelente! A trilha de bicicleta foi divertida (com direito a queda do cipó) e tranquila, exceto pela subidinha que em fez ir a pé do lado da bike. Ó vergonha! O guia era bacana, e ia falando e mostrando as flora e fauna. Depois da bike, andamos um pouco, vimos algumas aves e alguns jacarés, no Lago dos Jacarés. Daí a gente pega uma lancha e dá umas voltas pelo rio, e também tem a opção de pegar um remo ou coisa parecida, mas optamos por não fazer assim e seguir na lancha mesmo, porque além de molhar, eu fiquei com medo dos jacarés. O rio é cheio de jacarés! Depois da lancha, caminhamos mais um pouco e daí acaba a parte do guia. Fomos até o restaurante de ônibus (isso tudo dentro do parque, que quase parece uma cidadezinha) e depois fazer a trilha das cataratas brasileiras. São incríveis! Muito lindas e impressionantes! O arco-iris sempre lá é um encanto!! Pouquíssimos brasileiros e bastantes estrangeiros. Fiquei meio triste com isso, porque lá é um lugar que merece muito ser visitado. É muito bonito. Não precisar ir em Natal ou Fortaleza 45 vezes na vida, gente! Enfim. De lá, fomos pro Macuco Safari, também de ônibus. Gente, uma loucura!! A água fria pra cacete, a  queda daquelas cachoeiras são fortes. E nós éramos os primeiros do bote. Bom, o Vinicius achou do caralho, e eu sofri um pouco, rindo pra não chorar de tanto frio e dor quando o bote chegava na queda d'agua. Mas achei que valeu a pena. É emocionante! E todo mundo sai enxarcado.

Dia seguinte: El Paraguai!  No caminho, tive uma boa impressão da cidade de Foz do Iguaçu. Achava que seria feia, mas achei bonitinha. Passando pela Ponte da Amizade, senti alívio de estar passando por ali de carro e não a pé. Tem cara de coisa mafiosa e ilegal. Suja... Logo depois da ponte tivemos que nos identificar pra uma pessoa que você nunca diria que era um fiscal do Estado: uma cara com cara de mala, sentado numa cadeira de plástico branca, no meio da rua, com uma camisa esportiva falsa. Só a guia saberia que era aquele o fiscal. No estacionamento da van, tinha uma placa de Proibido Urinar no elevador, sujeito a multa de 20 dólares. Achei divertido. Algumas lojas cobram uma taxa de 5 a 10% para pagamentos com cartão de créditos. Ter dinheiro em espécie foi importante. E vale pedir desconto. Inicialmente fomos numa galeria, chamada Americana. Deu pra ver algumas coisas, experimentar outras e ter referência. Saindo de lá, fomos à Monalisa. Entrar na loja e nos livrar dos vendedores ambulantes empurrando meias, cuecas, panfletos é outro grande alívio. Um shopping muito bacana, mas não se encontra de tudo, e como tem coisas mais chiques, acaba sendo um pouco mais caro, mesmo com os 10% de desconto. Mas fizemos a festa: roupas esportivas, camisa de trabalho de marca boa, cosméticos, fone de ouvido, sapato. Daí fomos perambular um pouco. Ao sair da Monalisa, o ataque dos ambulante recomeçou. Passamos numas lojas de música e de suplemento alimentar. Muito baratos! Bingo!!!  Foi isso. Compramos, compramos, compramos e voltamos pro hotel.`

Último dia: Argentina. O passeio das cataratas do lado da Argentina é bem maior e mais demorado, apesar de não ser o mais bonito, com exceção  da vista da garganta do diabo pelo lado argentino, que é fantástica. Molha e encanta. Nunca vi um arco-iris tão vivo e perfeito. Saindo do parque conhecemos um pouco da cidade de Foz do Iguazu, fomos ao marco das três fronteiras. Achei muito legal ber a borda do Brasil. O almoço foi por lá, com a Beatriz e o casal de BH. Muito bom, com vinho e chorizo, num lugar simpático e comida gostosa. Na entrega da conta, espumante! Achei o máximo. Depois do almoço fomos ao Free Shop de Puerto Iguazu. Mais umas comprinhas e de volta ao hotel.

É isso, fotos aqui.

Beijocas. Vanessa

 

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Mulher
    Visitante número: